AcesseApelo maternal da Rainha do Céu

Acesse: Oração à Rainha Celestial para cada dia do mês de maio

A alma à sua Rainha, investida de dores:

Minha Soberana Mãe, sua pequena filha sente a necessidade de vir a seus joelhos para ter um pouco de companhia. Vejo o seu rosto velado de tristeza e algumas lágrimas escapam e correm de seus olhos. O doce Bebê treme e, soluçando, chora. Santa Mãe, una minhas dores às suas para confortar e acalmar o choro do Bebê Celestial. Mas, ó minha Mãe, não me negue de revelar-me o segredo. O que há de tão lamentável para o meu querido Pequeno Bebê?

Lição da Mãe Rainha:

Minha querida filha, hoje o Coração de sua Mãe está pleno de amor e de dor, tanto que não consigo me impedir de chorar. Você sabe que, na vinda dos Reis Magos, houve rumores em Jerusalém, perguntando sobre o novo Rei. O cruel Herodes, por medo de ser deposto de seu trono, já deu a ordem de matar meu doce Jesus, minha Vida querida, com todos os outros meninos.

Minha filha, que tristeza! Eles querem matar Aquele que veio dar a vida a todos e trazer para o mundo o novo tempo de paz, de felicidade, de graça! Que ingratidão! Que perfídia! Ah! minha filha, onde a cegueira da vontade humana atinge! Pretende se tornar feroz, amarrar as mãos do próprio Criador e se tornar mestre d’Aquele que a criou. Portanto, seja compassiva comigo, minha filha, e busque acalmar o choro do doce Menino. Ele chora pela ingratidão humana; pois, apenas nascido, querem-No morto. Para salvá-Lo, somos obrigados a fugir. Já o querido São José foi informado pelo Anjo de sair rapidamente para uma terra estrangeira. Acompanhe-nos, querida filha, não nos deixe sós; e continuarei a dar-lhe a minha lição sobre os graves males da vontade humana.

Agora, deve saber que, não apenas o homem se retirou da Divina Vontade e rompeu com seu Criador. Tudo na terra tinha sido feito para ele por Deus; tudo era seu; e o homem, ao não fazer o Querer Divino, perdeu todos os direitos; e pode-se dizer que não tinha onde colocar um passo. Então, tornou-se o pobre exilado, o peregrino que não podia possuir um lugar permanente, e isso não só na alma, mas também no corpo. Tudo se tornou mutável para o pobre homem; e se tinha alguma coisa fugaz, era em virtude dos méritos previstos deste Menino celestial. E isso, porque toda a magnificência da criação foi destinada por Deus para dar a quem teria feito a Divina Vontade e vivido em Seu Reino. Todos os outros, se com dificuldade, tomam algo, são verdadeiros ladrõezinhos de seu Criador e com razão; não querem fazer a Divina Vontade; e querem os bens que pertencem a Essa!

Agora, minha filha, saiba quanto eu e este querido Menino amamos você. No primeiro alvorecer de Sua vida, já foi para o exílio numa terra estrangeira, para libertar você do exílio em que a vontade humana a colocou, para lembrá-la de viver não em uma terra estranha, mas em sua pátria, que Deus lhe deu quando você foi criada, que é o Reino do Fiat Supremo. Filha do meu Coração, tenha piedade das lágrimas de sua Mãe e das lágrimas do doce e querido Menino; porque, chorando, pedimos-lhe que nunca mais faça a sua vontade. Nós lhe imploramos, pedimos-lhe: volte para o seio do Querer Divino, que anseia tanto por você!

Agora, querida filha, entre a dor da ingratidão humana e entre as imensas alegrias e felicidade que o Fiat Divino nos dava, e a festa que toda a criação fazia ao doce Menino, a terra tornou-se verde novamente e floresceu sob nossos passos, para dar glórias ao seu Criador. O sol O fixou e cantou-Lhe hinos de louvor e sentiu-se honrado em dar-Lhe a luz e o calor. O vento O acariciava. Os pássaros, quase como nuvens, se abaixavam em torno de nós; e, com seus gorjeios e cantos, faziam as mais lindas canções de ninar para o querido Menino, para aquietar-lhe o choro e reconciliar-lhe o sono. Minha filha, estando em nós o Querer Divino tínhamos o poder sobre tudo.

Em seguida, chegamos ao Egito; e, depois de um longo período de tempo, o Anjo do Senhor notificou São José que deveríamos voltar para a casa de Nazaré, porque o cruel tirano estava morto. E assim, repatriamos para nossa terra natal.

Ora, o Egito simbolizava a vontade humana, terra cheia de ídolos; e em todo lugar que o Menino Jesus passava, derrubava seus ídolos e os escondia no inferno. Quantos ídolos o humano querer possui! Ídolos de vaidade, de autoestima e de paixões que tiranizam a pobre criatura! Portanto, esteja atenta, ouça a sua Mãe. Para nunca deixá-la fazer a sua vontade, eu faria qualquer sacrifício e até mesmo lhe ofereceria a minha vida para lhe dar o grande bem de viver sempre no seio da Divina Vontade.

A Alma:

Querida Mãe, quanto lhe agradeço, por me fazer entender o grande mal do querer humano! Portanto, peço-lhe, pela dor que sofreu no exílio do Egito, que minha alma saia do exílio da minha vontade e me faça repatriar para a querida pátria da Divina Vontade.

Pequena flor:

Hoje, para me honrar, oferecerá suas ações unidas às minhas, em ato de gratidão ao Sagrado Menino, pedindo-Lhe que entre no Egito do seu coração para transformá-lo todo em Vontade de Deus.

Jaculatória:

Minha Mãe, coloque o Pequeno Jesus em meu coração, para que o reordene todo na Vontade Divina.