AcesseApelo maternal da Rainha do Céu

Acesse: Oração à Rainha Celestial para cada dia do mês de maio

A alma à sua Mãe Celestial:

Aqui estou novamente, Soberana do Céu. Eu me sinto tão atraída, que conto os minutos, aguardando o momento em que sua Alteza Suprema me chame para me dar as lindas surpresas de suas lições maternas. Seu amor de Mãe me encanta, e meu coração se alegra em saber que a Senhora me ama. Estou cheia de confiança de que minha Mãe me dará tanto amor e tanta graça para formar o doce encanto à minha vontade humana, de modo que o Querer Divino estenderá seus mares de luz na minha alma e colocará o selo do seu Fiat em todos os meus atos. Ó Santa Mãe, não me deixe mais sozinha e faça que o Espírito Santo desça em mim, para que possa queimar tudo o que em mim não pertence à Divina Vontade. 

Lição da Rainha do Céu:

Minha abençoada filha, suas palavras ecoam no meu Coração; e sentindo-me ferida, derramo-me em você com meus mares de graças. Oh! como eles correm para minha filha para dar-lhe a Vida da Divina Vontade. Se for fiel a mim, nunca a deixarei. Estarei sempre com você para lhe dar o alimento da Divina Vontade em cada ato seu, palavra ou palpitação.

Agora, ouça-me, minha filha. Nosso Sumo Bem, Jesus, partiu para o Céu e está diante de seu Pai Celestial para impetrar em favor de seus filhos e irmãos deixados na terra. Ele, da Pátria Celeste, olha para todos; ninguém escapa de Seu olhar. Tanto é o seu amor que deixa sua Mãe ainda na terra para conforto, ajuda e como mestra e companhia de seus e meus filhos.

Agora você deve saber que, quando meu Filho partiu para o Céu, continuei a estar junto com os Apóstolos no Cenáculo, aguardando o Espírito Santo. Todos estavam perto de mim e nós rezávamos juntos. Eles não faziam nada sem o meu conselho. E quando tomava a palavra para instruí-los e contar-lhes algumas histórias sobre meu Filho, que não conheciam, como, por exemplo, as particularidades de seu nascimento, suas lágrimas infantis, seus traços amorosos, os incidentes que ocorreram no Egito, e tantas maravilhas da vida escondida em Nazaré, oh! quão atentos estavam em me ouvir. Eles ficavam extasiados ao ouvir as muitas surpresas, os tantos ensinamentos que Jesus me deu, que deviam servir para eles, porque meu Filho falou pouco e quase nada de si mesmo com os Apóstolos, reservando-me a tarefa de lhes dar a conhecer o quanto Ele os amou e as particularidades que só sua Mãe conhecia. 

Então, minha filha, eu estava no meio dos meus Apóstolos mais que o sol do dia; e era a âncora, o leme, a barca onde encontravam refúgio para estarem seguros e defendidos de todos os perigos. Portanto, posso dizer que fiz nascer a Igreja nos meus joelhos maternos; e meus braços eram a barca em que guiei-a para um porto seguro, e a guia protetora. E assim chegou o tempo para a descida do Espírito Santo no Cenáculo, prometido por meu Filho. Que transformação, minha filha! À medida que foram investidos, adquiriram nova ciência, fortaleza invencível, amor ardente. Uma nova vida fluiu neles, o que os tornou destemidos e corajosos, de modo que seguiram seus caminhos separados em todo o mundo, para divulgar a Redenção e oferecer suas vidas pelo mestre. Fiquei com o amado João e fui obrigada a sair de Jerusalém, porque a tempestade da perseguição havia começado.

Minha querida filha, você deve saber que continuo agora o meu magistério na Igreja: não há nada que não desça de mim; posso dizer: vou até as entranhas pelo amor de meus filhos e os nutro com meu leite materno. Agora, nestes tempos, quero mostrar um amor mais especial, fazendo saber como toda a minha vida se formou no Reino da Divina Vontade. Por isso, eu a chamo aos meus joelhos, entre meus braços maternos, fazendo-lhe de barca, para que possa estar segura de viver no mar da Divina Vontade. Não posso dar-lhe graça maior. Peço-lhe, faça feliz sua Mãe! Venha viver neste Reino tão santo! E quando você vir que sua vontade queira ter qualquer ato de vida, venha refugiar-se na barca segura dos meus braços, dizendo-me: “Minha Mãe, minha vontade quer me trair e eu lhe a entrego, para que possa colocar em seu lugar a Divina Vontade.”

Oh! quão feliz serei se puder dizer: “Minha filha é toda minha, porque vive de Vontade Divina.” E farei descer o Espírito Santo em sua alma, para que possa queimar o que é humano em você, e com Seu Sopro refrescante, governe-a e a confirme na Divina Vontade.

A Alma:

Mestra Divina, hoje sua pequena filha sente seu coração repleto, para romper em choro e banhar suas mãos maternas com minhas lágrimas. Um véu de aflição me invade, e temo que não tire proveito de suas tantas instruções e de seu cuidado mais do que maternal. Minha Mãe, ajude-me, fortaleça minha fraqueza, coloque meus medos em fuga; e eu, abandonando-me em seus braços, terei a certeza de viver toda de Divina Vontade. 

Pequena flor:

Hoje, para me honrar, você recitará sete “Glória ao Pai” em homenagem ao Espírito Santo, rezando-me para que seus prodígios sejam renovados em toda a Santa Igreja.

Jaculatória: 

Mãe Celestial, despeje chamas de fogo no meu coração, para que me consumam e queimem tudo o que não é Vontade de Deus.