“No dia 26 de agosto fui a um cenáculo. Lá, o padre, ao me abençoar, disse que em minha casa havia um grande mal, o vício do meu marido que bebia. Ele disse que eu deveria fazer uma oração, em nome de Jesus, para afastar este mal. Então implorei ao Divino Espírito Santo e a Luísa Piccarreta. Chorei muito e implorei por esta graça a esta que, para mim, já é uma santa. Meu marido hoje está bem. Faz tratamento, mas está livre de muitos vícios. E eu, me sentia amarrada, meu trabalhos não iam para frente, sempre patinavam. Hoje, graças a Deus, estou bem. Obrigada, Jesus, por esta graça alcançada, e obrigada a esta santa, Luísa Piccarreta”.
Dalva L. Fagundes – Viadutos – RS