importância e valor das 24 horas da paixão

Luísa, Livro do Céu, vol.7 – 9 de novembro de 1906.

Efeitos de sempre meditar na Paixão.

Encontrando-me no meu estado habitual, estava a pensar na Paixão de nosso Senhor, e enquanto fazia isto, Ele veio e disse-me:
“Minha filha, agrada-Me tanto quem vai meditando sempre na Minha Paixão, a sente e compadece de Mim, que me sinto recompensado por tudo aquilo que sofri durante a Minha Paixão, e a alma, meditando sempre nela, prepara um alimento contínuo, e neste alimento existem diversos temperos e sabores que produzem diversos efeitos. Assim, como durante a Minha Paixão me deram cordas e correntes para me prenderem, assim a alma me desata e me dá a liberdade; eles desprezaram-Me, escarraram-Me e desonraram-Me; ela estima-Me, limpa-Me daqueles escarros e honra-Me; eles despiram-Me e flagelaram-Me; ela cura-Me e veste-Me; eles coroaram-Me de espinhos tratando-Me como falso rei, amargaram-Me a boca com fel e crucificaram-Me; a alma, meditando todas as Minhas penas, coroa-Me de glória e honra-Me como seu Rei, enche-Me a boca de doçura, dando-Me o alimento mais delicioso, que é a memória das Minhas próprias obras, e, despregando-Me da Cruz, faz-Me ressuscitar no seu coração. Dou-lhe, como recompensa, cada vez que faz isto, uma nova vida de graça, de modo que ela é o Meu alimento, e Eu, faço-Me seu alimento contínuo. Por isso, a coisa que mais Me agrada é o meditar sempre na Minha Paixão.”