Missão

Missão – Jesus escolheu Luísa

Luísa Piccarreta (Foto arquivo)

Um dia, o Senhor Jesus disse à Luísa: “Dei voltas e mais voltas à terra, olhei uma por uma as criaturas, para encontrar a menor de todas. A tua pequenez agradou-me e escolhi-te; confiei-te aos meus anjos a fim de que te acudam, não para fazer-te grande, mas para que conservem a tua pequenez, e agora quero começar a grande obra do cumprimento da minha vontade. Nem com isso te sentirás maior, mas, pelo contrário, a minha vontade far-te-á menor e continuarás a ser a pequena filha da Vontade Divina” (cf. Volume XII, 23 de março de 1921).

Jesus revelou à Luísa o grande desejo do Seu Coração: que o homem viva na Sua Divina Vontade, para voltar à ordem, ao lugar e à finalidade para a qual foi criado, isto é, aquilo que Ele mesmo nos ensinou a pedir na oração do Pai Nosso: “Faça-se a tua Vontade assim na terra como no Céu”. Deste modo, Jesus depositou em Luísa as Suas maravilhosas verdades, para que, como depositária e secretária dos tesouros da Divina Vontade, tornasse conhecido o Decreto Eterno da vinda do Seu Reino na Igreja e no Mundo inteiro.

Durante muitas décadas, sempre a uma hora da manhã, sua alma saía de seu corpo e, até às 6h, Jesus a levava a vários lugares – Paraíso, Purgatório, inferno e a outros lugares do mundo.

No dia 28 de fevereiro de 1899, teve início a redação do seu diário, que se concluiu com 36 volumes espessos. Com muito esforço ela os escreveu após ter recebido a ordem de seu confessor para relatar tudo o que acontecia entre Jesus e ela. Luísa, que havia feito somente o primeiro ano fundamental, não teve como se eximir da obediência. Seu confessor sabia de suas “limitações”, mas, ainda assim, a ordem foi categórica!

Santo Aníbal Maria di Francia tornou-se o seu confessor extraordinário e revisor dos seus escritos que, pouco a pouco, eram regularmente examinados e aprovados pela autoridade eclesiástica. Ele publicou vários escritos de Luísa. Entre eles, o livro “As 24 Horas da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo”.