(Extraído da Coletânea de Memórias sobre a Serva de Deus, escrita por frei Bernardino Giuseppe Bucci)

 

“E agora uma palavra a todos vós que lereis estes escritos… Peço-vos, suplico-vos que recebais com amor aquilo que Jesus nos quer dar, ou seja, a sua Vontade.

Mas, para dar-nos a sua, quer a nossa, caso contrário aquela não poderá reinar. Se soubésseis… Com este amor o meu Jesus quer dar-vos o maior dom que existe no Céu e na terra, que é a sua Vontade!

Oh, quantas lágrimas amargas Ele derrama, porque vê que com a vossa vontade vos arrastais por toda a terra depauperada! Não conseguis manter um bom propósito, e sabeis por quê? Porque a sua Vontade não reina convosco.

Oh, como Jesus chora, suspira pela vossa sorte! E soluçando pede-vos que façais reinar em vós a sua Vontade. Ele quer fazer-vos mudar o destino: de enfermos a sãos, de pobres a ricos, de frágeis a fortes, de volúveis a imutáveis e de escravos a reis. Não deseja grandes penitências, nem longas orações, nem outras coisas, mas que em vós reine a sua Vontade, e que a vossa vontade não tenha mais vida.

Oh, escutai-O e estou pronta a dar a vida por cada um de vós, a padecer qualquer sofrimento, contanto que abrais as portas da vossa alma, e a Vontade do meu Jesus reine e triunfe nas gerações humanas!

Agora todos vós aceitai o meu convite; vinde comigo ao Éden, onde teve início a vossa origem, onde a Entidade suprema criou o homem, o fez rei e lhe deu um reino a dominar; este reino era o Universo inteiro, mas o seu cetro, a sua coroa e o seu mandato provinham do fundo da sua alma, em que residia o Fiat divino, como Rei dominante, e constituía a verdadeira realeza no homem. As suas vestes eram reais, mais fúlgidas que o sol, os seus atos nobres e a sua beleza arrebatadora. Deus amava-o muito e divertia-se com ele, chamando-o meu pequeno rei e filho. Tudo era felicidade, ordem e harmonia.

Este homem, nosso primeiro pai, traiu a si mesmo e o seu reino e, fazendo a sua vontade, amargurou o seu Criador-rei, que muito o tinha exaltado e amado, e perdeu o seu reino, o reino da Divina Vontade, em que tudo lhe fora dado. As portas do reino foram-lhe fechadas e Deus retirou para Si o reino que dera ao homem. Entretanto, escutai um segredo meu.

Ao retirar para Si o reino da Vontade Divina, Deus não disse que não o voltaria a dar ao homem, mas conservou-o em reserva, esperando as gerações futuras, para capturá-las com graças surpreendentes, com luz ofuscante, a ponto de eclipsar a vontade humana que lhe fez perder um reino tão santo; e com atrativos de admiráveis e prodigiosos conhecimentos da Vontade Divina, fazer com que sintamos a necessidade, o desejo de colocarmos de lado a nossa vontade, que nos torna infelizes, e de abraçarmos a Vontade Divina. Portanto, o reino é nosso; por isso, coragem!

O Fiat supremo espera-nos, chama-nos e impele-nos a entrar em posse dele. Quem poderá negar-se, quem será tão pérfido a ponto de não escutar a sua chamada e não aceitar tanta felicidade?

Abandonemos os miseráveis trapos da nossa vontade, a veste de luto da nossa escravidão em que ela nos lançou, e vestir-nos-emos como rainhas e ornamentar-nos-emos com adornos divinos!

Por isso, dirijo um apelo a todos: escutai-me! Sabeis, sou uma Pequenina, a menor de todas as criaturas… bloquear-me-ei na Vontade Divina juntamente com Jesus, virei como pequena ao vosso seio e, com gemidos e prantos, baterei à porta dos vossos corações para pedir-vos, como uma pequena mendicante, os vossos trapos, as vestes de luto, a vossa vontade infeliz, para dá-los a Jesus, a fim de que arda tudo e, restituindo-vos a sua Vontade, vos volte a dar o seu reino, a sua felicidade, a candura das suas vestes reais. Se soubésseis o que significa a Vontade de Deus! Ela contém o Céu e a terra; se permanecemos com Ela, tudo é nosso, tudo toma de nós; se não ficamos com Ela, tudo é contra nós; e se possuímos algo, somos verdadeiros ladrões do nosso Criador e vivemos à base de fraude e de furto.

Por isso, se quiserdes conhecê-la, leiais estas páginas: nelas encontrareis o bálsamo para as feridas, que a vontade humana nos provocou com crueldade, o novo ar totalmente divino e a renovada vida toda celeste; sentireis o Céu na vossa alma, vereis novos horizontes e novos sóis, e não raro encontrareis Jesus com o rosto molhado de pranto, que quer dar-vos a sua Vontade. Ele chora porque vos quer ver felizes e, vendo-vos infelizes, soluça, suspira e intercede pela felicidade dos seus filhos; e, pedindo-vos a vossa vontade para arrancar-vos da infelicidade, dá-vos a sua, como confirmação da dádiva do seu Reino.

Portanto, dirijo um apelo a todos. E faço este apelo juntamente com Jesus, com as suas próprias lágrimas, com os seus suspiros ardentes e com o seu Coração que arde, que quer dar o seu Fiat. Saímos de dentro do seu Fiat e dele recebemos a vida; é justo e imperioso que para ele retornemos, na nossa querida e interminável herança.

…Sabeis por que chamo todos vós? Porque quero dar a todos a vida da Vontade Divina! Ela é mais que o ar, que todos nós podemos respirar; é como o sol, do qual todos nós podemos receber o bem da luz; é como a palpitação de um coração, que em todos quer pulsar; e eu, como pequena criança, desejo, suspiro por que todos vós tomeis a vida do Fiat! Oh, se soubésseis quanto bem receberíeis, daríeis a vida para fazê-la reinar em todos vós!

Portanto, escutai esta Pequenina, não a façais mais suspirar e dizei por favor: “Assim seja, assim seja… todos nós desejamos o reino da Vontade Divina. Fiat.”