Carta de Luísa Piccarreta a Federico Abresch de Bolonha (Itália)

Estimadíssimo no Senhor,
Você não pode imaginar o contentamento que sinto quando ouço que alguém quer viver na Vontade Divina, porque é uma vitória de Jesus; e quando Ele conquista nossa vontade, conquistamos a Sua. No Reino da Divina Vontade ninguém perde, todos somos vencedores, Deus e a criatura.

Você não sabe que a Redenção é preparação para o Reino da Divina Vontade? E o Sagrado Coração de Jesus não é senão o imenso Reino de Sua Vontade. Não é o Coração que domina; é a Divina Vontade que domina Seu Divino Coração. Pobre Coração, se não tivesse uma vontade para dominá-lo, seria bom em nada. Se a vontade é boa, o coração é bom; se a vontade é santa, o coração é santo. Se a nossa vontade dá lugar ao Divino, deixando-O elevar Seu Trono em nossa vontade, o coração adquire as qualidades divinas pela graça. Portanto, tanto na ordem divina quanto na humana, é sempre a vontade que tem o primeiro lugar, o ato principal; é a regra. O coração e todo o resto estão na ordem secundária…

Portanto, dizer que o Coração reina, se a Vontade Divina não reina, é absurdo. Podem ser chamados de devoções, práticas piedosas…; se a Divina Vontade não reina, o Reino não existe. Existe no Céu, mas não tem lugar na terra. Contudo, a Santa Igreja, órgão e mensageiro do Fiat Supremo, através do Sagrado Coração, através da Mãe Celestial, suplica o Reino da Divina Vontade. Ela não diz isso com palavras, mas diz com fatos. A Volição Divina é o Rei – Seu Coração, Suas Feridas, Seu Sangue precioso, a doce Rainha, formam os ministros que cercam o Rei, e através deles suplicam o Reino da Divina Vontade nas almas.

Agora, como alguém pode conhecê-La? Todas as coisas necessárias, as diferentes circunstâncias em que podemos nos encontrar, são Vontade de Deus para nós. Se estamos realmente determinados a viver n’Ela, Deus fica tão satisfeito que, se forem necessários milagres, Ele os fará para não nos deixar usar nossa vontade. Cabe a nós decidir verdadeiramente e estarmos dispostos até a dar nossas vidas para viver n’Ela; e o querido Jesus e a Soberana Rainha assumirão o compromisso, serão nossas sentinelas e nos cercarão de tais graças que não nos deixarão sermos traídos por nossas próprias vontades. Sobretudo porque nosso Senhor não ensina coisas difíceis, nem as impõe ou as deseja, mas facilita tudo o que deseja de nós de uma maneira admirável; mais ainda, Ele se coloca em nosso lugar para facilitar as coisas para nós e faz junto conosco tudo o que Ele deseja que façamos.