AcesseApelo maternal da Rainha do Céu

Acesse: Oração à Rainha Celestial para cada dia do mês de maio

A alma:

Aqui estou novamente sobre seus joelhos maternos para ouvir suas lições. Mãe Celestial, essa sua pobre filha confia em sua Potência. Percebo quão pobre sou; mas também sei que a Senhora me ama como minha Mãe, e isso é suficiente para me lançar em seus braços, para que possa ter compaixão de mim. E, abrindo os ouvidos do meu coração, poderei ouvir a sua doce voz, dando-me suas lições tão sublimes. Santa Mãe, com o toque de seus dedos maternos, purificará meu coração para que inclua nele o orvalho celestial de seus ensinamentos celestes.

Lição da Rainha do Céu:

Minha filha, ouça-me: se soubesse o quanto a amo, confiaria mais em sua Mãe, e não deixaria fugir nenhuma das minhas palavras. Deve saber que não só lhe escrevi no meu Coração, mas dentro desse Coração tenho uma fibra materna que me faz amar mais que uma Mãe a minha filha. Portanto, quero que ouça sobre o grande prodígio que o Fiat Supremo operou em mim para que, ao me imitar, possa me dar a grande honra de ser minha filha rainha. Oh! como meu Coração, submerso em amor, anseia ter ao meu redor a nobre companhia de pequenas rainhas.

Então, ouça-me, minha querida filha: assim que o Fiat Divino se derramou sobre meu germe humano para impedir os efeitos dolorosos da culpa, a Divindade sorriu e alegrou-se muito ao ver no meu germe aquele germe humano tão puro e santo como surgira de suas Mãos Criadoras na criação do homem. E o Fiat Divino fez o segundo passo em mim, ao levar meu germe humano, por Ele purificado e santificado, diante da Divindade, para que se derramasse em torrentes sobre a minha pequenez no ato de ser concebida. E a Divindade, percebendo em mim sua obra criadora bela e pura, sorriu com complacência; e querendo-me festejar, o Pai celestial lançou sobre mim os mares de Potência; o Filho, mares de Sabedoria; o Espírito Santo, mares de Amor. Desta forma, fui concebida na infinita luz da Divina Vontade; e, no meio desses mares divinos, que minha pequenez não podia conter, formei as mais elevadas ondas, enviando-as de volta como reverência de amor e glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.

A Divindade tinha os seus olhos em mim; e para não ser superada por mim no amor, sorrindo para mim e me acariciando, enviou-me outros mares que me embelezavam tanto que, à medida que minha minúscula humanidade se formava, eu adquiria a Virtude arrebatadora para extasiar meu Criador. E Ele se deixou verdadeiramente extasiar, tanto assim que entre mim e Deus havia uma festividade sem fim. Não negamos nada um ao outro. Mas, sabe quem me animou com essa força impetuosa? A Divina Vontade que, como Vida, reinava em mim. Portanto, a força do Ser Supremo era a minha; e, portanto, nós tínhamos a mesma força para encantar um ao outro.

Agora, minha filha, ouça a sua Mãe: saiba que a amo muito e quero ver sua alma cheia dos meus mesmos mares. Os meus mares estão transbordando e querem se derramar; mas, para fazê-lo, você deve esvaziar-se de sua própria vontade, de modo que o Querer Divino possa dar seu segundo passo em você. E, constituindo-se como princípio da vida em sua alma, atrairá a atenção do Pai Celestial, do Filho e do Espírito Santo para se derramar sobre você com Seus mares transbordantes. Mas, para fazê-lo, querem entregar à sua vontade humana seus mares de Potência, de Sabedoria, de Amor e Beleza indescritível.

Minha querida filha, ouça a sua Mãe: coloque sua mão em seu coração e me diga seus segredos. Quantas vezes foi infeliz, torturada, amargurada porque fez sua própria vontade? Saiba que colocou para fora uma Vontade Divina, e caiu no labirinto dos males. A Divina Vontade queria torná-la pura e santa, feliz e bela, com uma beleza encantadora; e você, ao fazer sua vontade, trava uma guerra contra Ela e com tristeza lança-A fora de sua amada morada, que é sua alma. Escute, filha do meu Coração: isso é uma dor para a sua Mãe, porque não vejo em você o Sol do Fiat Divino, mas, em vez disso, a densa escuridão da noite da sua vontade humana.

Mas, levante-se e coragem! Se me prometer colocar sua vontade nas minhas mãos, eu, sua Mãe Celestial, a levarei nos meus braços; vou colocá-la no meu colo e reordenar em você a vida da Divina Vontade. E você também, às minhas tantas lágrimas, formará o meu sorriso, a minha festa e também o sorriso e a festa da Trindade Sacrossanta.

A Alma:

Mãe Celestial, se a Senhora me ama tanto, eu lhe imploro: não me deixe descer de seus joelhos maternos. E, quando vir que estou para fazer minha vontade, fique atenta sobre minha pobre alma, me encerrando em seu Coração para que a força do seu amor queime o meu querer. Desta forma, vou transformar suas lágrimas em sorrisos de satisfação.

Pequena flor:

Hoje, para me honrar, virá aos meus joelhos três vezes, entregando-me seu querer e dizendo: minha Mãe, eu quero que essa minha vontade seja sua para que a troque pela Vontade Divina.

Jaculatória:

Soberana Rainha, com sua Autoridade divina, aterre a minha vontade para que o germe da Divina Vontade desponte em mim.