Os escritos

Os 36 volumes dos escritos de Luísa Picarretta são fundamentalmente seu diário autobiográfico, cujo título foi dado por Jesus: “O Reino do Fiat no meio das criaturas. O Livro do Céu. A chamada da criatura para retornar à ordem, ao lugar e ao propósito para o qual foi criada por Deus!”

O primeiro volume narra a vida de Luísa até o momento em que ela recebeu o comando para escrever, em 28 de fevereiro de 1899. Foi concluído com um “caderno de memórias de sua infância”, escrito em 1926. Ela recebeu a ordem para parar de escrever em 28 de dezembro de 1938, ao término de seu 36º volume.

Além dos 36 volumes, ela escreveu muitas orações, novenas, etc. A pedido de Santo Aníbal, em 1913 ou 1914, ela escreveu “As Vinte e Quatro Horas da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo”. Mais tarde, acrescentou a esse trabalho algumas “Considerações” e “Práticas piedosas”.

Luísa também escreveu 31 meditações para o mês de maio, intituladas: “A Virgem Maria no Reino da Divina Vontade”, completada em 6 de maio de 1930. Essas meditações foram ditadas pela Santíssima Virgem, que ia todos os dias para dá-las a Luísa. Elas contam como Nossa Senhora viveu na Divina Vontade e como ela, por sua vez, nos ensina a fazer o mesmo.

Após Luísa ter parado de escrever oficialmente, viveu mais 8 anos, durante os quais acrescentou ao seu epistolário conselhos gentis sobre assuntos espirituais, especialmente no que diz respeito a viver na Divina Vontade.