O que é o Reino? E por que, afinal, devemos perguntar? É evidente que se trata de um Novo Reino que, como cristãos, pela fé no que Jesus anunciou aos primeiros discípulos, devemos pedir, conhecer e desejar para nós mesmos e para todos.Certamente não é um reino planejado em um sentido territorial. Os Evangelhos falam do Reino em um sentido espiritual. «O meu reino não é deste mundo» (Jo 18,36), é a resposta de Jesus a Pilatos. É o Reino de Deus invocado por Jesus, na oração ao Pai Nosso. Ele, como irmão mais velho, junta-se a nós para pedir e obter do Pai um Reino de comunhão universal, sem fronteiras, o ato final de uma promessa de felicidade eterna e inexplicável, marcada pelo Seu retorno.

É também verdade que nos Evangelhos falamos do Reino de Deus perto  (cf. Mc 1,15), entre nós (cf. Lc 17,21), querendo compreender, com a expressão Reino de Deus, o próprio Cristo em pessoa, já veio, mas então aquele “vem”, para o futuro , parece indicar que o Reino ainda está por vir.

Mais uma vez no livro do Pai Nosso, o Papa Francisco ajuda-nos a lançar luz sobre este versículo ” Venha o teu reino”. O Reino de Deus existe, o Reino de Deus virá. Esses dois momentos são muito importantes.

Ele já veio – explica o Santo Padre – Jesus se encarnou, se fez homem como nós e está conosco todos os dias, até o fim do mundo (cf. Mt 28, 20). Deixe-nos ser possuídos por esta certeza de Sua primeira vinda. Mas, ao mesmo tempo , o Reino de Deus ainda não chegou completamente, e Jesus nos dá esta esperança, que o Reino virá , que nosso futuro será a posse do Reino de Deus, que devemos saber esperar com confiança . E com aquela mesma certeza com que as criaturas aguardavam o futuro Redentor (Jesus a Luísa, em passagem de 1928).

É importante uma conversão interior do homem, chamado a invocar, a suplicar – aqui o Papa Francisco usa um verbo forte – a implorar a vinda do Reino Divino para que se estabeleça em plenitude total. A preferência de Deus é pelos pobres, os mendigos; Eles são os protagonistas da história, da salvação. É aí que nasce o Seu Reino, em cada homem que implora, não só materialmente, cada um de nós é um mendigo espiritual que grita “ Maranata, vem Senhor Jesus”.

Mas o que é o Reino de Deus? Jesus explica aos discípulos por meio de parábolas, imagens tiradas do mundo rural: é o tesouro escondido no campo; é a pérola preciosa de grande valor (cf Mt 13,44-45) ; é semelhante à semente lançada à terra, que se enraíza e se desenvolve por si mesma, quer o fazendeiro durma ou observe; é semelhante ao grão de mostarda, a menor de todas as sementes que cresce até se tornar a maior (cf. Mc 4 26-32).

Todo o Reino de Deus é um grão sem peso, praticamente invisível. É tudo, repete Francisco mais uma vez, no pequeno Evangelho que todos podem levar na bolsa ou no bolso e ler todos os dias. Mas também é tão grande quanto a terra que o próprio Deus nos deu como uma casa onde vivermos todos juntos e que, justamente por ser comum, deve ser levada em consideração por todos.

É a sua Palavra criadora, confiada à terra, isto é, a cada um de nós para que dê fruto. É a Palavra aceita pelos simples, os humildes, que se deixam trabalhar pela ação do Espírito Santo e permitem que Deus habite e faça maravilhas neles. Como Maria, que terra fértil que acolheu a semente do Verbo Divino. O Reino de Deus requer, portanto, a colaboração da criatura, mas é e permanece acima de tudo iniciativa e dom do Senhor (Papa Francisco-Angelus 14 de junho de 2015) https://www.youtube.com/watch?v=DgvQJ4pZa -M

No Diário, Jesus fala a Luisa Piccarreta precisamente de um grande Dom para toda a humanidade. É o Reino da Vontade Divina. Seu objetivo é que este Reino desça à terra no meio das criaturas, agora mesmo! O seu ideal de criação – diz Jesus a Luísa numa passagem de 1926 – era o Reino da Sua Divina Vontade na alma da criatura. Seu primeiro objetivo era fazer do homem a mais imagem da Trindade Divina em virtude do cumprimento de Sua Vontade sobre ele, mas, retirando o homem Dela, este Reino não se concretizou.

Na Redenção ele veio a realizar este seu ideal … ele formou o Seu primeiro Reino no Coração da Mãe celestial. Antes de partir para o Céu, fez outra promessa mais solene, a do Reino da Sua Divina Vontade na oração do Pai Nosso para valorizá-la mais e obtê-la o mais rápido possível … porque foi orada e desejada pelo Filho com a mesma Vontade do Pai.

Agora, nestes tempos de derramamento do Espírito Santo, este Reino quer estender-se a todos, para devolver o homem à sua origem, à ordem, ao lugar e à finalidade para a qual foi criado por Deus. É um Reino de paz, de justiça e de amor, de viver como filhos e não como servos.

 

Jesus, te amo, e porque te amo,
dá-me o Reino da Tua Divina Vontade.
(Do Diário de Luisa Piccarreta, 1928)

FIAT!

Riccardina Latti

Fonte: (original em italiano) https://www.luisapiccarretaofficial.org/news/venga-il-tuo-regno/458